Skip to main content

Posts

Showing posts from October, 2013

A Sherrilyn Kenyon e eu…

Opinião
Acabei há pouco tempo o 15º da autora, "Acheron", cuja opinião vou escrever em separado desta. Isto não vai ser bem uma opinião, mas antes um parecer geral até porque o 1º - "Amante de Sonho" - já li em Janeiro.
Tive uma relação um pouco complicada com a autora; gosto da mitologia e do romance patente nos livros e do humor que envolvem as personagens, mas não consigo gostar da escrita - ou da tradução pela SdE, que está muito mal feita. Há uns tempos pensava que fosse da escrita da autora, mas após ler “Acheron”, traduzido por outra editora, Casa das Letras, o meu julgamento alterou-se. A SdE é uma porcaria a traduzir livros. É um nojo, a sério. Só por isso, vale a pena comprar em inglês, acreditem.
É inegável que a autora criou um mundo novo, aproveitando principalmente a mitologia grega e dando-lhe um toque muito pessoal. É também certo que os Predadores da Noite, do Homem e dos Sonhos são como uma grande família, cada grupo com as suas características, limi…

[Epifanias] - IMPORTANTE: como eu olho para os escritores portugueses

Há muito tempo que não tinha uma Epifania, mas este artigo é para me redimir, vá. Generalizei uma situação e dei-me mal. Acontece, mas não devia. 
Recentemente, escrevi numa opinião que me tinham dito que 'os portugueses não sabem escrever'. Em alguns livros, concordo com a frase. Talvez não entenda o significado total que lhe está inerente, mas, por favor, expliquem-me os que souberem. Contudo... não deveria ter generalizado, porque há muitos escritores portugueses que admiro! Carla M. Soares, L.C. Lavado, Célia Loureiro, Soraia Pereira, Carina Rosa, Andreia Ferreira... ui, mulheres ao poder! Fábio Ventura, Vasco Ricardo, Vítor Frazão, Pedro Ventura, etc. Existem muitos, só me lembrei destes agora. Isto na retoma de jovens escritores de que tenho ouvido falar nos últimos meses. 
Talvez tenha sido pretenciosa ao parafrasear o que outra pessoa, que já não me recordo quem foi, me havia dito há meses. Ainda por cima, por saber tão pouco deste mundo da Literatura e ser uma bebé no m…

E sai uma opinião-tese... "Perdidos" | Rute Canhoto

Goodreads

OpiniãoSei que muitos de vós não vão chegar ao fim deste texto e, aos que chegarem, – corajosos! – um muito obrigada. Mas aconselho a lerem. Mesmo. Porque se há uns meses ficava na dúvida quando me diziam ‘ah, os portugueses não sabem escrever’**, as dúvidas dissiparam-se. Este foi o pior livro que li até hoje, desde que recomecei a ler assiduamente há um ano e meio. Não me orgulho de o dizer, se me entristece tecer uma opinião destas, entristece, mas também fiquei emputecida pelo resultado final. Uma história que poderia dar tanto... e deu em... nada. Este texto não está revisto e tem repetições, mas enfim... 
Foi uma opinião difícil de fazer. Desde a segunda vez, terceira? quarta?, já não sei, que peguei no livro para ler que fiquei domada por uma vontade louca de criticar este livro a torto e a direito, quase como uma necessidade.
No geral, creio que tudo o que de mau a autora podia fazer – e atenção – numa primeira obra,fê-lo. Excepto, claro, que “Perdidos” não é a estreia…

"Perseguição Escaldante" | Janet Evanovich

Goodreads
Opinião
Tenho tentado não criar quaisquer expectativas em relação a livro algum, para que, no fim, não sejam defraudadas. No entanto, foi isso que fiz com este livro: criei expectativas elevadas. E sai a perder.O final é demasiado previsível e foi uma decepção.
A autora dispersa-se muito em pormenores que, para mim, não têm importância, mas reconheço que talvez seja o estilo da autora, não sei. Raramente leio policiais, mas este ficou aquém daqueles que li, centrou-se muito na personagem principal - sendo que o narrador é na 1ª pessoa - e nos romances dela, mas mais uma vez pode ser a imagem de marca da autora. Eu não gostei dessa centralidade.
O título é exagerado, pensei que o livro tivesse mais acção e em relação à parte do escaldante... bom, é certo que tem cenas que lhe fazem jus, mas nada de extraordinário que me faça querer dar mais * do que aquelas que dei.
Ponto positivo para os capítulos pequenos que permitiram uma leitura rápida.
**Isto foi o que escrevi no goodreads. P…

"A melhor quinzena de um século de vida" | Vero Lua de Melo

Autora: Vero Lua de Melo
Editora: Chiado
Publicação: Setembro | 2013
Páginas: 366
Sinopse: 
Em 2081, no seu leito de morte - e quando já se discute a aplicação da fórmula para a vida eterna -, Amália Duarte está decidida a abandonar um mundo que já não reconhece.Para partir em paz com a sua consciência, reúne os três netos e revela-lhes o segredo que escondeu ao longo da sua vida e que, de alguma forma, os implicava também a eles. Recuando ao atribulado início do século XXI, relembra o dia em que, impelida por uma rotina desencantada, pede demissão do emprego de sempre. Com a crise europeia a emoldurar um deprimente panorama, parte numa grande viagem com duas garantias - o desemprego e um futuro incerto - e uma certeza: a reinvenção urgente da sua própria vida. "Fiquei com os olhos pregados no tecto e senti um vazio hediondo na alma, que ia sendo preenchido pela sensação de desgraça da minha própria vida."
Sobre a autora
Vero Lua de Melo veio ao mundo no ano de 1981, em Guimarães. …

"Amores Contados", Antologia Alfarroba

Sinopse e Página do Goodreads, aqui.
OpiniãoFui à apresentação da Alfarroba para conhecer uma das autoras e acabei por comprar a antologia. Admito que foi mais pela curiosidade do que pela vontade. A capa, só gosto dela por causa da borboleta, acho-a muito saturada em termos de tons vermelhos, típico do amor. O título até percebo, mas a capa julguei que fosse mais fresca. Mas lá está, tentar não julgar um livro e o seu conteúdo pelo exterior é um desafio, por vezes, imposto ao leitor. Não me vou pronunciar relativamente à revisão ortográfica porque todos os que andam pelo meio estão carecas de saber como a coisa funciona. Os que não andam, a revisão podia estar estar melhor (mas não pode sempre?).
Quanto aos contos…
“Uma questão matemática” é o conto da autora que fui conhecer. Confesso que estava ansiosa por ler e um pouco medrosa do que ia encontrar. Não me desiludiu. É uma breve história que conta como uma relação não se pode dar como certa só com base no amor. Há que haver companheir…

Epifanias da Conspiração 1#

Podem não ser hilariantes para muitas pessoas, mas para mim é e foi por isso que resolvi mostrar-te. Sim, a ti, que estás desse lado a ler. 
O primeiro momento que resolvi partilhar aconteceu há poucos dias. 
Vês a borboleta que está aí em baixo, na parte especialmente dedicada a ti para me fazeres chegar as tuas epifanias? aka comentários
Houve quem dissesse que era fofa.Ou melhor dizendo: *foda* deixa-me cá pôr com letra mais pequena, a ver se passa despercebido.

Tenho várias teorias da conspiração sobre o uso desde vocabulário, que não me é, de todo, desconhecido. Ora, vamos lá:
1) A rapariga que o disse tem uma certa queda para o brasileirismo, pois os nossos amigos do outro lado do Atlântico dizem muito "ah, é foda." para assinalar algo muito bom! Verdade ou mentira?2) A rapariga tem uma queda certeira para uma sinceridade desmedida. Aí não a posso culpar por ser desbocada. Ao menos, dizias como melhorar sim?3) A rapariga gosta simplesmente de dizer asneiras e camufla os gos…

Leituras de Setembro

A minha alegria foi sol de pouca dura... tal e qual como tempo agora (não que me queixe, que gosto do Outono!). Começaram as aulas e descambei...

Ora, em Setembro li:


Opinião do primeiro, aqui.
Só me resta desejar que Outubro seja simpático para mim!
E aí, desse lado, como foram?
Boas leituras :) 

"Amar o Ódio" em Beta-reading

Capa provisória criada pela autora
Página do Goodreads e Sinopse aqui. Autor: Soraia PereiraCapa provisóriaPáginas: 388Em processo beta-reading (ainda sem publicação)
Opinião
Da autora, li apenas um livro. É certo que o li mais de três vezes, mas não deixa de ser um. 
Melhorias? Sim, a todos os níveis. A nível de estilo, a marca da autora continua impressa e impecável, senão melhor. Em termos de expressões do calão, que abusou em “Ligação”, vemos um pólo totalmente oposto. Diálogos mais adultos, mas igualmente engraçados, que nos roubam o coração, uma lágrima, um sorriso matreiro ou uma gargalhada que nunca é solitária.  Este livro foi intenso, uma autêntica montanha russa. Dirão as más-línguas que as estrelas que vou dar dever-se-ão à amizade (que penso) que criei com a autora. Sinceramente, I don’t give a shit, não me interessa o que dizem, porque já me abstive de dar mais no 1º quando, na minha opinião, merecia mais e só não teve porque o produto final ficou como ficou. Quando leio um …